PROCON - Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor
banner
 
   
  •  

 
   
 
   
banner
banner
ACESSAR:
DOMÍNIO:
USUÁRIO:
SENHA:
 
banner
Noticias  
 
Procon registra queda de 0,67% no preço dos materiais escolares
30/01/2012 | Lucio Fabiano Stangarlin Fernandes

Campo Grande (MS) – O Procon divulgou a segunda pesquisa de preços de materiais escolares realizada na Capital. A variação média dos percentuais, entre a pesquisa realizada no início de janeiro e a divulgada nesta segunda-feira (30), com apenas 15 dias de intervalo, registrou queda de 0,67%. Outro dado positivo segundo o Procon foi a queda 3,96% nos preços praticados este ano, se comparados a mesma pesquisa realizada em 2011.

O principal motivo desta queda é o dinamismo do mercado no setor, comenta o superintendente em exercício do Procon, Alexandre Rezende. “Os lançamentos deste segmento contribuem para esta queda significativa entre um ano e outro, eles acabam interferindo nos preços. Vale ressaltar que na nossa pesquisa os itens são sempre os mesmos. O que era novidade ano passado, este ano pode não ser. Este fator contribui para a queda nos preços”, avalia Alexandre.

O levantamento apontou variação de preços de até 370% para o caderno de desenho grande em espiral sem folha de seda. O produto pode ser encontrado por R$ 1,15 em determinado comércio e por R$ 5,40 em outro. A pesquisa foi realizada no dia 26 de janeiro em sete livrarias e papelarias da Capital que comercializam materiais escolares e analisou os valores praticados em 269 itens. 

De acordo com o Procon o número de estabelecimentos pesquisados foi menor que os analisados na última pesquisa, devido a resistência encontrada no fornecimento das informações. “Alguns estabelecimentos não forneceram a lista com os preços para a coleta dos dados. Somente com estas informações podemos tabular nossa pesquisa. Vamos adotar medidas administrativas e legais, já que a população tem direito ao acesso dos preços praticados no comércio local”, explicou superintendente em exercício, Alexandre Rezende.

Além do caderno de desenho, outros nove produtos receberam destaque na pesquisa pelo índice de variação nos preços. A borracha branca de personagens variou 283%, podendo ser encontrada em preços que alteram de R$ 0,60 a R$ 2,30. O apontador plástico com depósito, também de personagens, em alguns estabelecimentos é vendido a R$ 1,30 e em outros a R$ 4,90, uma variação de 277%. No caso do caderno pequeno de capa dura com 100 folhas a variação chegou a 263%, sendo comercializado a R$ 2,62 o mais barato e a R$ 9,50 o mais caro.

O esquadro simples pequeno apresentou variação de 261% com preços que vão de R$ 0,36 a R$ 1,30. Outro item que ficou pouco abaixo registrando variação de 260%, foi a régua plástica simples que é comercializada a R$ 0,25 em alguns estabelecimentos e em outros é vendida a R$ 0,90.

A fita durex com 10 metros e o transferidor demonstraram mesmo percentual de variação, 257%. Enquanto o durex é vendido com preços que variam de R$ 0,14 a R$ 0,50, o transferidor é comercializado entre R$ 0,28 a R$ 1,00. Já a fita durex com 30 metros está sendo vendida a R$ 0,44 a mais barata e a R$ 1,50 a mais cara, variação de 241%.

A mesma variação se repete no caderno de brochura pequeno com 48 folhas da Tilibra e no papel almaço. Os dois itens registraram variação de 233%. O caderno é comercializado com preços que variam de R$ 0,54 a R$ 1,80; e o papel almaço varia de R$ 0,03 a 0,10 a unidade. A Caixa com 12 unidades do giz de cera pequeno da Faber Castell mostrou uma variação de 231%, está sendo vendido com preços que variam de R$ 1,30 a R$ 4,30.

Alerta

Segundo o superintendente em exercício, o Procon adverte ainda que a escola não pode determinar a marca ou estabelecimento para a compra dos materiais a serem utilizados durante o ano letivo. Somente é permitida a sugestão aos pais ou responsáveis, ficando a critério dos consumidores a melhor opção.

“A escola pode oferecer àqueles pais com pouco tempo de pesquisar preços, a taxa de material escolar, lembrando que é um serviço adicional e não obrigatório, tendo o consumidor liberdade para aderir ou não”, completa Alexandre.

O consumidor que quiser denunciar abusos ou obter mais informações pode acessar o site do Procon, www.procon.ms.gov.br ou ligar no número 151. http://www.unisite.ms.gov.br/unisite/controle//ShowFile.php?id=100846

 Luciana Bomfim Daige Taveira - MS NOTÍCIAS



 
Clique aqui para enviar esta matéria a alguém  Clique aqui para imprimir esta matéria
 
Mapa do Site
banner
banner
banner
banner
banner
Governo do Estado de Mato Grosso do Sul - SETAS-PROCON - Rua Treze de Junho, 930- Centro, Campo Grande/MS | Telefone: 67 3316-9800