Procon na Rua encerra atendimentos de 2017 em Coronel Sapucaia

Campo Grande (MS) – Coronel Sapucaia, município localizado a 377 quilômetros de Campo Grande, foi o último a receber as ações do Procon na Rua em 2017. A ação foi realizada no dia 15 de dezembro, no Centro de Referência da Assistência Social (Cras). O projeto foi criado pela Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon/MS), ligada à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), com o objetivo de fortalecer os Procons municipais e levar atendimento às localidades onde não existe sistema de defesa do consumidor.

O Procon na Rua já é desenvolvido há dois anos, desde março de 2016, quando foi lançado pelo Governo do Estado para atender Procons municipais em instalação ou municípios que ainda não ofereciam esse serviço. Neste ano, foram realizados 915 atendimentos nas 17 localidades por onde o escritório móvel do Procon passou. Dentre os assuntos registrados, 22% foram sobre problemas de telefonia e 11% serviços relacionados a instituições bancárias.

Quando o escritório móvel chega ao município, os consumidores contam com acesso a serviços e orientações sobre a legislação de defesa do consumidor e atendimento para formalizar reclamações. Além dos consumidores, fornecedores locais também recebem orientações e exemplares do Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Em 2017, o projeto alcançou de setembro a dezembro, período em que as ações foram promovidas, consumidores de Alcinópolis, Aparecida do Taboado, Bataguassu, Bodoquena, Coronel Sapucaia, Dois Irmãos do Buriti, Eldorado, Itaporã, Itaquiraí, Japorã, Jaraguari, Nioaque, Ribas do Rio Pardo, Rochedo, Sete Quedas, Terenos, além da população de alguns bairros de Campo Grande, onde foram realizadas ações.

Segundo o superintendente do Procon/MS, Marcelo Salomão, a expectativa era realizar inicialmente 10 ações em 2017, mas o projeto foi ampliado para alcançar municípios que identificaram a demanda e solicitaram ao Procon a realização do atendimento itinerante.

Keyla Tormena – Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon/MS)

Foto: Procon